30 de novembro de 2015

Amor tranquilo

Te vejo no mar tranquilo.
Te ouço no canto dos pássaros.
Te sinto num abraço delicado.
Te sinto no sol ameno,
Das minhas manhãs...
Te sinto como a brisa leve,
Que bate a tarde em minha janela...
Como um perfume suave,
Afagando os meus sentidos. 

No toque de tuas mãos, sinto a sensibilidade do amor.
Um carinho terno, que eu desejo que seja eterno.

Nanda Olliveh

3 comentários:

Fábio Murilo disse...

A isso se chama paixão. A esse sentir indescritível, esse bem estar inexplicável, do nada, ao redor. Mesmo que o mundo esteja se acabando, estaremos pouco se lixando, estamos em paz... A paz está em nós... Somos a paz. Vibramos noutra sintonia, tocamos noutra estação. Musica sai do ar, perfumes não sei de onde, tudo é suave, é brisa é coisa que não se explica, se pratica, se sente apenas, como folha se deixando levar. Bem você, poetisa. E a musica que escolheu foi ótima! Excelente gosto,combinou muito bem. Beijos, Fê.

Laura Santos disse...

É isso mesmo, Nanda. O amor sente-se em serenidade e ternura.
E espera-se sempre que essa ternura se torne eterna.
Lindo! E a música é muitio bem escolhida.
xx

Cidália Ferreira disse...

O Amor é lindo!
Poema maravilhoso e ternurento. Adorei

Beijo e um dia feliz

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Visitantes.

Marcadores.

Poema (198) Frase poética (64) Meus Textos (21) Conto (10)

Amigos do Blogger.

Translate.