Amor?



... A gente sabe que é amor quando a gente se entrega sem medo, por inteiro.
A gente sabe que é amor quando o coração acelera, quando as mãos soam... 
Quando o primeiro pensamento do dia é... sim... e em transmissão de pensamentos se unem em amor.
A gente sabe que é amor quando a alegria se manifesta de forma natural,
Quando o sorriso se distraí nos lábios...

A gente sabe que é amor quando a vontade de ver, falar, tocar se torna imensa, intensa.
A gente sabe que é amor quando é amor, simples!
O amor nos envolve com sua ternura, nos protege...
E nos deixa seguros, para nos lançarmos em seus braços, e sermos felizes.

Nanda Olliveh


Comentários

  1. É por aí... a gente tem necessidade de estar sempre... de segurar a mão e nunca mais soltar.
    beijogrande

    ResponderExcluir
  2. O Amor é lindo!! E Este Poema também!

    Beijo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. E como sabemos amiga Nanda!
    Lindas palavras sobre o amor.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  4. Poxa... Que descrição garota, minuciosa e verdadeira, encantadora, comovente até! É mesmo, é um verdadeiro estado de graça, um êxtase. É como se a felicidade fosse com a nossa cara, nos puxasse pelas mãos e dissesse: - É por aqui! Grata surpresa, essa do destino, hein?. Toda dor, toda amargura, amar cura, automaticamente remove, renova nossa pele, revigora, dá novo animo, nos reveste de uma alegria inabalável. As coisas passadas já nada mais significam, existem, os velhos planos desfeitos... O que importa é o presente, de presente, se esvaindo lenta e prazerosamente, como se começássemos a viver agora. Nenhum desanimo nos abala, arranha ao menos, protegidos que estamos, aquecidos. Munidos de um escudo reluzente e prateado: O AMOR. A paixão correndo em nossas veias em forma de adrenalina, linda, pura injeção de animo, reconfortadora! Qual super heróis românticos, que, de repente em meio a tanta violência, tristeza, desânimo, descrença, tanta coisa que agride, que fere nesse mundo hostil, carregam consigo uma chama redentora na escuridão, tendo então pra onde ir, um refugio, uma ilha, um abrigo... Fugir, bater a porta, um lugar acolhedor onde não há dor, um mundo enfeitado, colorido, confortável, feito sob medida, que aquece, fortalece. Um alguém que pros outros é só mais um, mas que pra gente é especial, é único, é simplesmente tudo. Muito bom, Fê, inspiradíssima como sempre. Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Quando o amor chega tudo tem outro encanto.
    Belíssimo poema.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir

Postar um comentário