Esperarei

Nem que eu viva cem anos...
Não desistirei de lhe encontrar
De sonhar com seu abraço, com seu sorriso,
Com sua voz...
Eu tenho certeza que um dia eu vou lhe encontrar
E dizer a você o quanto eu lhe esperei, o quanto eu lhe amei em poesias
Lhe contar as noites de alegrias que vivi, em meu silêncio
Somente tendo por companhia uma canção, 
Que lhe trazia para mim em pensamento
Que me fazia transbordar em sentimentos
E lhe sentir aqui dentro.

Nem que eu viva cem anos...
Não cessarei de lhe amar
De sentir meu coração apertar de saudade
Não desistirei dessa vontade...
Desse desejo, mesmo que esteja doendo agora
Por ainda não ter lhe encontrado...
Mesmo que meus anseios me consumam
Não desistirei...

Não me entregarei para outros desejos.
Enquanto eu não lhe encontrar,
Guardarei como um tesouro o meu amor,
Mesmo que no momento eu só sinta esse torpor.

Lhe esperarei, sonharei e para ti continuarei escrevendo...
Cartas que um dia iremos ler e viver juntos.

Nem que eu viva cem anos...
Lhe esperarei...
Lhe encontrarei.

Nanda Olliveh

Comentários

  1. O tempo dos apaixonados obedece a uma outra contagem do tempo. Minutos de espera contam eras, uma eternidade a um coração aflito. É uma tortura que não acaba, a procura, carência que não acaricia, penitencia. É um tempo que dura, feito de contratempos, obstáculos, desencontros. É um grito abafado, crise de abstinência na ausência. Ótimo, Fê.

    ResponderExcluir
  2. Chega ser meio louco esse sentimento tão visceral.
    beijogrande

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, Nanda, pela bela inspiração Poética!

    Beijinhos e uma excelente semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  4. Linda inspiração de amor para encontrar o seu amor.amiga Nanda.
    bjs e um ótimo inicio de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  5. Que lindo, Nanda!
    Remeteu-me a um amor de outras vidas, que a alma sabe que existe e que vive à espera do reencontro.

    Obrigada pela visita.
    Gostei muito de vê-la em meu espaço.

    Feliz semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Sem fim doces beijos!
    nos lábios transportando
    preso nos seus lindos cabelos
    a menina do laço branco,

    Para não ficar com pena,
    que o seu amor não tenha fim
    escrito por uma menina morena
    um poema tão lindo assim!

    Se eu ao contrário dissesse,
    era mentira não verdade
    quem com o amor adormece
    se levanta com a felicidade!

    Boa noite e bons sonhos amiga Nanda Olliveh, um beijo,
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  7. Querida amiga

    O amor sobrevive do desejo
    do próprio amor.
    Talvez esteja aí sua magia.
    Ser encanto para que possamos
    nos encantar da vida.
    Agora...
    Amanhã...
    Quem sabe, daqui a cem anos...

    Que a vida lhe traga a cada manhã,
    o maravilhoso perfume da alegria...

    ResponderExcluir
  8. Quem não deseja e busca o amor, não vive, vegeta.
    É essa busca incessante pelo amor e sentimento de
    eternidade que nos mantém vivos.
    Nem que se viva cem anos!
    Muito belo, Nanda!
    xx

    ResponderExcluir
  9. Amiga Nanda:

    Partilhamos o mesmo nome e a mesma entrega ao amor verdadeiro.

    Siga sempre esse sentir profundo e um dia será recompensada.

    beijinho com carinho

    ResponderExcluir

Postar um comentário