24 de agosto de 2014

A Menina e a boneca


Ao longo de nossas vidas passamos por uma série de situações...
Eu costumo dizer que é vivendo e aprendendo...
Assim prosseguimos em nossa luta constante, que é viver.

E hoje a vida me trouxe uma inspiração...
A estória: A Menina e a boneca


Que é a estória de Amanda, uma menina que adorava bonecas.
Amanda era uma boa menina, obediente aos seus pais, amorosa e muito sensível.
Morava em um bairro de classe média com seus pais, não tinha irmãos, então em suas horas vagas adorava brincar com suas bonecas.
Era uma menina meio introvertida, não muito falante e amava muito a sua avó, que quase sempre a visitava, e quando ela chegava era uma festa, sua avó virava criança e com Amanda brincava de boneca.
Ah, também contava estórias, cantava para ela aquelas cantigas antigas, era só alegria quando as duas se reuniam.

E acontecera que seu pai comunicou à família que teria que fazer uma viagem de trabalho aos Estados Unidos, e como sempre trazia presentes para Amanda de suas viagens, dessa vez não seria diferente.
Então antes de partir perguntou a Amanda o que ela queria que ele trouxesse para ela.
Amanda disse:

- Papai gostaria muito que me trouxesse uma boneca que minha coleguinha tem...
Ela anda, tem um cheirinho de morango...
Ah, ela fala te amo, e diz: Me dá um abraço?

O pai de Amanda riu, e disse:

- Nossa filha que boneca inteligente.
Mas filha você não quer outra coisa, você já tem tantas bonecas?

E Amanda disse:


- Sim papai..., mas eu quero essa boneca porque ela é diferente.
Seu pai então respondeu:
- Sim Amanda, trarei sua boneca minha filha.

O pai de Amanda viajou, ficou nos Estados Unidos por volta de um mês e antes de voltar para casa, foi até a loja e comprou a boneca.
Amanda estava muito ansiosa com a volta de seu pai para casa, não parava de pensar na boneca.
Ela perguntava para sua mãe o tempo todo quando seu pai iria voltar, e sua mãe dizia:
Calma filha seu pai em breve voltará.
Amanda você está ansiosa assim por causa de sua boneca, não é?

Sim mamãe essa boneca é muito divertida, o pai da minha coleguinha comprou para ela em uma viagem que fez lá para onde o papai estar, ela é uma boneca diferente mamãe. Não vejo a hora de papai chegar!
A mãe de Amanda só sorria e pensava consigo:
Como minha filha gosta de bonecas, a minha filhinha tão sensível, tão amorosa.
E realmente Amanda era um amor de menina, uma florzinha.

Bem, passado o tempo que seu pai teria que ficar nos Estados Unidos, chega o dia de seu retorno para casa.
A companhia toca e Amanda lá esperando seu pai chegar.
Sua mãe abre a porta e Amanda logo grita:

- Papai!

E ele diz:

- Sim filha, eu trouxe sua boneca!
(Risos)

Na mesma hora ele abre a mala, e diz:

- Olha é toda sua.

Amanda na mesma hora pegou a boneca e saiu correndo para seu quarto.
A boneca estava em uma linda embalagem, e ela nem esquentou com a embalagem, rasgou tudo que estava embalando a boneca.
Mas algo que ela não esperava aconteceu...

Ao começar a brincar com a boneca ela percebeu que a boneca não queria andar, não queria falar, te amo, e nem queria falar, me dá um abraço?
A única coisa que estava intacta na boneca era o cheirinho de morango.
Ah, que tristeza que sentiu Amanda naquele momento.
Debruçada na boneca Amanda começou a chorar baixinho, aquele choro sentido...
E seus pais foram a procurar e se deparam com aquela cena.
A Menina e a boneca.

Imediatamente seu pai lhe perguntou:

- O que houve Amanda, não gostou da boneca, não era essa minha filha, que você tanto queria?
     
Amanda disse:  

- Sim papai era essa..., mas ela não quer andar, não quer falar.

Seu pai pegou a boneca para conferir e viu que a boneca havia vindo com defeitos, a boneca na verdade estava quebrada.
Amanda não parava de chorar, imagina, ela havia passado todo o mês esperando por aquela boneca, com a expectativa de brincar, de ter aquela boneca que tanto queria e agora coitadinha só lhe restava chorar.

O pai de Amanda lhe disse:

- Filha não fique assim, o papai compra outra boneca para você.
Perdoe-me minha filha, mas...
Papai nunca ia imaginar, que a boneca viria quebrada.

Mas a sensível menina só sabia chorar, para ela foi uma decepção muito grande.   

''E na vida é assim que acontece algumas vezes...
Tantos são os planos e sonhos que fazemos, mas nem sempre as coisas saem como queremos.
Algumas vezes criamos expectativas até mesmo em pessoas, e elas nos magoa e vemos que...
A vida é assim... O que nos resta é aprender a lidar com as situações que nos sobrevêm.''


E agora a pequena Amanda talvez estivesse tendo sua primeira adversidade a vencer, sua primeira decepção a superar.
Mas não foi fácil para ela.
Amanda passou muitos dias tristes, até teve febre emocional.
Seus pais ficaram desesperados com a situação.
Seu pai foi na loja comprou algumas bonecas que falavam, faziam e aconteciam, mas Amanda nem ligou, e a boneca que ele havia comprado que viera quebrada, só era vendida nos Estados Unidos.

''Superar decepções nem sempre é tão fácil como dizem, porque na verdade só sabe o tamanho da dor, quem estar  sentindo, só se sabe o que perdeu quem tanto almejou o que perdeu...
Só se sabe a decepção que lhe foi causada quem se viu diante de uma situação em que depositou toda a sua confiança, a sua esperança em certa situação e depois viu que não era nada do que imaginava.
E quando ver já é tarde, e vem o baque.
Mas o ser humano vence, na verdade o ser humano tem sim um poder de superação muito grande.
É que depende de cada um...
Há pessoas que são mais duronas, tem outras que são mais sensíveis...
O fator x é ter força de vontade, ainda que leve algum tempo...
Mas podemos sim vencer, ser curados das decepções da vida.''

A vó de Amanda veio visitá-la, e ficou muito triste em vê-la daquele jeito.
Sua avó lhe disse:

- Meu amorzinho não fique assim, é só uma boneca, seu papai e sua mamãe estão muito preocupados com você... Há dias que você não vai à escola, não se alimenta direito...

Amanda disse:
- Ah, vovó estou muito triste mesmo...
Sua avó a abraçou e disse:

- Vovó vai contar uma estória para você.
Amanda perguntou:

- Qual vovó?
Sua vó lhe respondeu:

- O nome da estória é A menina e a boneca.
Amanda disse:

- É vovó, essa eu não conheço.
Sua vó lhe disse:

- Sim minha netinha, é que até hoje eu só lhe contei as estórias de contos de fadas.
Mas estou vendo que preciso lhe contar algumas estórias um pouco mais reais.

Sabe minha netinha na vida muitas das vezes acontecem algumas coisas que não esperamos e nem sonhamos que iria acontecer...
Mas sabe, não temos o dom de prever...
Esse poder pertence a Deus.

Algumas vezes sonhamos e idealizamos, fazemos projetos com a esperança que dê tudo certo.
Mas você não vê a estrada?
Ela tem muitas curvas, não é?
Quebra-molas... E quando os carros passam correndo demais, os passageiros vão lá em cima é voltam.
Buracos... que até mesmo causam acidentes.
A todo o momento aparecem placas direcionando os motoristas, mas ainda sim algumas vezes, eles se perdem.
É minha netinha, assim é a vida.
E na verdade, ela sempre será assim, somos nós que teremos que aprender a lidar com as suas leis.

Amanda começou a se acalmar, e disse:

- Sim vovó estou entendo, agora conta para mim a estória A menina e a boneca
Apesar de sua avó ter lhe dito que seria uma estória um pouco mais real.
Amanda pensava que seria um conto de fadas.

''E na vida é assim, quantas vezes a realidade nos chama a uma responsabilidade, mas o conto de fadas é sempre mais confortável.
Mas viável.''

E naquela noite sua avó começou a lhe contar a estória...
Enquanto isso acariciava sua cabeça, seu coraçãozinho foi se conformando com a situação, e ela pegou no sono.
No outro dia Amanda acordou bem melhor, não chorou tanto e até foi a escola.
Seu pai a levou para passear, e quando chegou em casa, seu pai lhe perguntou:

- Filha você está melhor mesmo?
Amanda respondeu:

-Sim papai, a vovó me ensinou que:

''Tantos são os planos e sonhos que fazemos, mas nem sempre as coisas saem como queremos.
Algumas vezes criamos expectativas até mesmo em pessoas e elas nos magoa e vemos que...
A vida é assim... O que nos resta é aprender a lidar com as situações que nos sobrevêm.''

E ela disse também, que:

''Superar decepções nem sempre é tão fácil como dizem, porque na verdade só sabe o tamanho da dor, é quem estar sentindo, só se sabe o que perdeu quem tanto almejou o que perdeu...
Só se sabe a decepção que lhe foi causada quem se viu diante de uma situação em que depositou toda a sua confiança, a sua esperança em certa situação e depois viu que não era nada do que imaginava.
E quando se ver já é tarde, e vem o baque. ''

Sabe papai só eu sei o que senti quando minha bonequinha não quis me dizer: ''Te amo, me dá um abraço?''
Mas vovó disse que:

''Na verdade, o ser humano tem sim um poder de superação muito grande.
É que depende de cada um...
Há pessoas que são mais duronas, tem outras que são mais sensíveis...
O fator x é ter força de vontade, ainda que leve algum tempo...
Mas podemos sim vencer, e ser curado das decepções da vida. ''

E sabe papai a vovó depois me contou uma estória que ela disse que seria uma estória um pouco real, que essa ela nunca havia me contado.
Se chama A Menina e a boneca
Seu pai sorriu e disse:

- Sim filha, mas sabe o papai também queria te contar uma estória quase real, amanhã vou ter a certeza, mas talvez o papai no próximo mês tenha que viajar aos Estados Unidos de novo, e...

Amanda respondeu:

- Sim papai já sei... mas sabe papai talvez eu não quero, mas aquela boneca.

''A decepção sempre nos causa esse medo de tentar outra vez...
Mas é algo que pode ser superado, ainda que leve algum tempo.''

O pai de Amanda viajou, mas dessa vez Amanda não ficou contando os dias, brincava com as bonecas que já tinha.

''E na verdade a vida é assim, precisamos dar valor ao que já temos. Às vezes reclamamos tanto e queremos sempre o que não temos, mas será que o que tanto almejamos irá nos trazer a felicidade que idealizamos?
Vezes sim, vezes não.''

E aqui termina a estória A Menina e a boneca, uma estória contada como uma ilustração, baseada em um fato real, a qual eu pude contar com muita propriedade.

O pai de Amanda trouxe outra boneca igualzinha a outra. E dessa vez a boneca veio perfeita, mas Amanda não correu para o quarto e nem rasgou o embrulho.
Quando ela começou a brincar com a boneca, a boneca disse:

- Te amo me dá um abraço?

Amanda sorriu, mas não com a mesma alegria de antes.
Mas quem sabe isso também poderá ser superado e a boneca consiga lhe despertar a alegria de, tê-la?
A boneca até andou, mas nem assim à encantou.

Mas sorrindo, Amanda agradeceu ao seu pai.

Nanda Olliveh


7 comentários:

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Linda história,para que possamos refletir muito.
Às vezes sonhamos e achamos que tudo dará certo e não é dessa forma
em algum momento os imprevistos acontecem e temos que nos conformar.
Adorei amiga Nanda.
bjs e um ótimo inicio de semana
Carmen Lúcia.

Bell disse...

oi Nanda

Semana passada eu me decepcionei muito, talvez pq a gente sempre espera o melhor das pessoas e algumas delas fazem questão de mostrar o que tem de bom.

bjokas =)

Fábio Murilo disse...

É, as decepções são terríveis, nos sentimos apunhalados pelas costas, como se diz. O problema é que projetamo-nos nos outros, esperamos demais... Esperamos que os outros se moldem exatamente as nossas expectativas, “os outros são os outros”, como diz uma musica do Kid Abelha. Mas há de se dar um desconto quando às vezes os outros acordam meio assim... Respondem-nos com má vontade, um tanto bruscos, estão “naqueles dias..." Rs. Isso são reações motivadas pela emoção, por impulso. Bem diferente de decepção que, por vezes, é até uma atitude covarde, premeditada e maquiavélica. Problema que isso causa um trauma, um medo de confiar nas pessoas novamente. Mas nem todos são iguais, ainda existem, poucos, acredito, mas que salvam esse mundo imundo, que depois de conhecer se esquecem dessa corja, esses vermes, essas mazelas da humanidade. Triste e desencantar-se de vez e se fechar numa concha, armadura, levantar alto muro ao redor da casa, e se despedir do mundo, ficar antissociável, desistir da humanidade. Ótimo, Fê! Se saindo muito bem também na prosa.

Nanda Olliveh disse...

Obrigada amiga Carmem, pela generosa visão do meu conto!

Beijos em seu coração!

Nanda Olliveh disse...

Verdade miga Bell!

Beijokas nesse sensível coração!

Nanda Olliveh disse...

Obrigada Fábio pelo comentário, muito enriquecedor!
É fato a pessoa que nos decepciona, depois prova de uma consequência um tanto amarga, porquê quando se dão conta da perda, já é tarde muitas vezes... Seja em uma amizade, seja em um relacionamento amoroso... Pois em todo tempo sinalizamos que algo está errado... e quando não somos atendidos... um dia nos cansamos... apodrece...
Enfim... Serve para mais diversas áreas da vida.
E quanto a se fechar, isso é normal acontecer, pelo fato da auto defesa.
Porém um dia o sol volta a brilhar, não é?

Beijos amigo!

Lucemar Rodrigues disse...

Mexeu comigo! Levou-me a retroceder no tempo e resgatar lembranças, excessivas expectativas, idealizações da realidade. O título é encantador e a narrativa é sugestiva, evoca reflexão. Os reveses da vida foram abordados com forte recurso emocional, meiguice e criatividade. Parabéns! Lindo e sensível.


Visitantes.

Marcadores.

Poema (198) Frase poética (64) Meus Textos (21) Conto (10)

Amigos do Blogger.

Translate.