(...)



A carência é uma das molas que impulsiona o poeta.

 Nanda Olliveh

Comentários

  1. Minha querida
    Deus a ouça,porque,quando estou muito carente,foge-me a inspiração e nem consigo concentrar-me.
    Vou ficar a meditar na sua frase,para ver se me convenço.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir

Postar um comentário