1 de maio de 2013

Soneto do Maior Amor

Maior amor nem mais estranho existe
Que o meu, que não sossega a coisa amada
E quando o sente alegre, fica triste
E se a vê descontente, dá risada.

E que só fica em paz se lhe resiste
O amado coração, e que se agrada
Mais da eterna aventura em que persiste 
Que de uma vida-mal aventurada.

Louco amor meu, que quando toca, fere
E quando fere vibra, mas prefere 
Ferir a fenecer e vive a esmo

Fiel á sua lei de cada instante
Desassombrado, doido, delirante
Numa paixão de tudo e de si mesmo.

Vinicius de Moraes 

3 comentários:

♥ Nanda ♥ disse...

amo os sonetos de Vinicius
feliz dia do trabalhador
linda noite bjs

http://palavrasdemenina2010.blogspot.com.br/

edumanes disse...

Beijo na testa
Lábios desejosos
Na hora certa
Beijos gostosos.

Deixaste a porta aberta
Para eu poder entrar
Estavas tão bela
Para ti e para ele fiquei a olhar.

Beijos na testa
De noite ao luar
Menina, o poeta
Te quer dar.

Não te esqueças de deixar
A janela aberta
Para no teu quarto entrar
A felicidade na hora certa.

Boa quinta-feira e um beijo
para ti, amiga Fernanda Oliveira.
Eduardo.

Bandys disse...

Quem melhor pra falar de amor doque Vinicius?
Adoro seus sonetos, canções e historias.
Acredita que conhecia uma filha dele??

Beijos menina bonita

Visitantes.

Marcadores.

Poema (196) Frase poética (64) Meus Textos (21) Conto (10)

Amigos do Blogger.

Translate.