A Menina e o Poeta (Parte 2)

Continuação...


Entre tantas outras, o Poeta recebeu a carta perfumada de sua mais nova admiradora, ao ler sentiu-se envaidecido como sempre. Mas sentiu uma diferença, o perfume, assim como também a sensibilidade e até ingenuidade das palavras ali escritas, ela conseguiu chamar sua atenção, porque também escrevia muito bem. Depois de ler a carta a guardou juntamente com as outras que recebia.

A menina ficou a imaginar se a carta perfumada havia chegado... Assim ela continuava a ler como fazia todos os dias, na verdade era uma menina diferente, até fazia outras atividades, mas ler, viajar nos livros era o que mais gostava.

Houve um dia que acordou muito alegre e inspirada, e resolveu mandar mais uma carta para o Poeta, e isso se tornou algo contínuo em seus dias.
Sentava-se, escrevia, e enviava sua carta perfumada.

Por fim... O Poeta guardava as cartas que a menina mandava, separadas das outras que recebia.
O Poeta diante de cartas tão lindas, bem escritas e também tão perfumadas, começou a ter carinho por aquela menina, ele não sabia quem era ela, nem seu nome ele sabia, pois ela não assinava as cartas que mandava. Mas de uma coisa ele tinha certeza, que ela o admirava muito e que era uma menina sensível e especial. Seu faro de Poeta conseguia captar um pouco da personalidade dela, imaginava ele que ela seria uma menina romântica, falante, mas ao mesmo tempo ele sentia certa pureza em seu coração.

Em alguns dos seus escritos o Poeta expressava através dos seus versos a sua solidão, a enfermidade que o acompanhava o querendo roubar a vida. Mas, no entanto sua alma de poeta o fazia escrever além da sua triste realidade, e eram esses poemas que a encantavam, os que falavam das flores, dos amores, do campo florido, do casal enamorado... Esses contos despertavam nela a fantasia a faziam navegar em um mar que só ela avistava.

Num certo dia o Poeta lendo uma das cartas que a menina o mandara... Pensou consigo:
- Como eu gostaria de conhecê-la, poder agradecer a está sensível menina por suas cartas, por sua admiração, por suas ternas palavras que tem feito tão bem ao meu coração.
Estando a menina em seu quarto, como era de costume, sua mãe bate na porta e diz:
- Filha, veja! É pra você!
A menina abre a carta, começa a ler, seu coração disparado estava, pois ela nem acreditava no que estava acontecendo, na verdade ela duvidava que o Poeta estivesse lendo suas cartas. E agora ela se depara com uma carta do seu poeta preferido, daquele que ela tanto admirava.
Num trecho da carta o Poeta agradecia a admiração da menina por ele, e a fez um convite, no qual a convidava para ir até a sua casa para que ele pudesse conhecê-la.
Nossa! Ela mal podia acreditar no que estava lendo.
 Rapidamente comunicou a sua mãe pedindo-a que a levasse até a cidade onde o Poeta residia. Sua mãe a acalmou e disse:
- Filha só poderei a levar no mês que vem, esse mês será impossível.
A menina ficou com o semblante entristecido, mas entendeu e aceitou esperar.
E nessa espera continuava a enviar cartas, e muito mais inspirada, pois tinha certeza que o Poeta estava recebendo e lendo.

Mas nesses dias veio a acontecer algo inesperado, a enfermidade que acompanhava o Poeta, o tomou com violência e o deixou acamado por vários dias, até que o roubou a vida, o poeta faleceu.
Morre o Poeta de alma sensível, que admirava a sensibilidade, que falava da flor, que pintava sonhos...

Que fantasiava o amor encantando cada leitor.
Estava se aproximando o dia que a mãe da menina prometera que iria a levar para conhecer seu poeta preferido... Ela estava muito alegre e também ansiosa, ela pensava consigo em mil coisas pra dizer, mal podia conter-se de ansiedade.
Em fim chega o grande dia, sua mãe arrumou as malas, e as duas partiram para a cidade onde encontrariam o poeta.

                                 Continua...
                            Fernanda Oliveira

A primeira parte deste Conto se encontra no link:
  http://nandamusicpoesia.blogspot.com.br/2013/01/voltei-e-gostaria-de-estar.html 

Comentários

  1. BOM DIA MINHA QUERIDA !!!!
    GRANDE ESCRITORA VC SE APRESENTA COM ESSE CONTEÚDO DESTE CONTO,UM TEXTO QUE NOS LEVA NESSA GRANDE VIAGEM,QUERO JÁ A CONTINUAÇÃO,RSRSRSRRSRS,AMEI!!!!!
    BJSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  2. Fernanda

    Que grade sensibilide româmntica e romanesca apresentas neste teu escrito. Deu gosto ler, ver se vou acompanhar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Entre tantas outras,o poeta
    Recebeu a a carta perfumada
    Da menina apaixonada era
    De amor pelo poeta esperançada!

    Uma história verdadeira
    Também poderá ter sido inventada
    Escrita por Fernanda Oliveira
    A pensar numa longa caminhada!

    Ou num poeta talvez
    Imaginação não lhe falta
    Comparação a certada fez
    Uma história bem contada!

    Lindo, adorei
    Se eu soubesse fazer melhor
    Mas, como não sei
    A pensar numa flor
    Fernanda Oliveira encontrei!

    Bom fim de semana para você,
    um beijinho
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  4. Fernandinha minha amiguinha querida.
    A cada linha escrita a emoção aumenta... Eita que não vou suportar uma longa espera. Lindo conto querida. Uma emoção a cada leitura. Adorei viu?
    Beijos... beijos... muitos beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Fernanda,que conto mais lindo! Uma história bem emocionante e espero pela continuidade!bjs e boa semana!

    ResponderExcluir

Postar um comentário