3 de fevereiro de 2013

A Menina e o Poeta (Fim)


 Chegando a cidade tomaram um táxi que as deixou em frente à casa do poeta.  A frente de sua casa havia um jardim muito lindo, um chafariz... A menina ficou encantada, seus olhos brilhavam, pois para ela aquele lindo jardim, significava a sensibilidade do poeta.

Tocaram  a campainha e a secretária do poeta as veio receber.
Disse ela: Entrem, e elas entrando explicaram o que haviam ido fazer ali.
A secretária explicou o que havia acontecido, dando a elas a triste notícia.

Naquele momento os olhos da menina começaram a girar em torno do ambiente, como se não quisesse acreditar, querendo acreditar que o encontraria ali em algum lugar... Ela abaixou a cabeça e as lágrimas rolavam em seu rosto, seu sentimento era de que lhe haviam roubado seu sonho.

Então ela se levantou e fez uma pergunta e um pedido a secretária:
-Onde ele escrevia?
A secretária respondeu:
- Ele gostava de escrever no jardim, mas era em seu escritório que terminava seus escritos.
A menina lhe faz um pedido:
-Eu poderia conhecer seu escritório?
-Sim, eu a levo, respondeu a secretária.

Chegando ali a menina se identificou com aquele lugar, pois havia muitos livros papeis tal como o quarto dela. Num determinado momento ela ver sobre a mesa vários papeis, eram os rascunhos do próximo livro que o poeta lançaria.
Em meio aos papeis havia um poema, que tinha por titulo:


A menina e o Poeta

O poema dizia:

Menina da carta perfumada
Menina de alma sensível e pura
Menina coração de anjo, doce é a tua candura.
Menina que tanto me admira e que hoje me inspira
 Como serás?
Como será que se chamas?
Teu rosto eu não posso ver...
Mas tua sensibilidade eu pude conhecer.
Dentre tantas cartas a tua me encantou, me chamando atenção,
E desde então, tem feito bem ao meu solitário coração.
Com carinho e verdade me escreves, acredito que sejas tão inocente como a flor nascente.
Acredito que tenhas a bochecha rosada, uma alma sagrada.
Menina da carta perfumada, quem sabe a tua inocência curaria minha alma solitária,
Quem sabe sua inspiração curaria meu coração,
Quem sabe tudo isso viraria uma bela canção.
            Autoria:  O Poeta

Ao terminar de ler o poema, o papel estava completamente banhando por suas lágrimas.
A menina sentiu uma mistura de tristeza e alegria, sentia certa alegria, pois, havia servido de inspiração para o Poeta, mas a tristeza realmente era bem maior.
E depois da grande frustração partiu dali com sua mãe...



E tudo que ocorreu lhe serviu de inspiração, e durante alguns meses a menina escrevia mais do que era de costume.
Escreveu um livro que teve por titulo: A menina e o Poeta, tendo por subtítulo: A carta perfumada.
Dentre muitos escritos que ela já havia escrito, escolheu este para ser seu primeiro livro a ser lançado, e deu certo, pois, naquele ano seu livro foi o mais vendido.
Todos queriam conhecer o Conto: A Menina e o Poeta (A Carta Perfumada).
                                                                      Fim!
                                                            Fernanda Oliveira

2 comentários:

edumanes disse...

Depois abraçar o poeta
A menina delirou
De felicidade se manifesta
Em liberdade borboleta voou!

A tentou apanhar
Borboleta não deixou
Sobre as flores a voar
Menina a olhar para ela ficou!

Não apanhou a borboleta
Mas encontrou o poeta
Vive feliz e satisfeita
E a borboleta na floresta!

Ao abraçar a felicidade
Os lábios do poeta beijou
Na flor da idade
O amor de sua vida encontrou!

Boa segunda-feira para você,
amiga Fernanda Oliveira,
um beijinho
Eduardo.

Gracita disse...

Oi amada Fernanda!
Lindo e emocionante final. Mas senti um arrepio ao ler o poema carta do poeta. Quanta inspiração menina. Tu és fantástica na tessitura poética. parabéns minha flor de amiga. Te adoro.
Não fique triste com o meu desaparecimento amada. Estou passando por um momento difícil decorrente do fato de ter vencido a gincana. Fui duramente agredida através de e-mail por uma pessoa inconformada e estou precisando de um tempo para me recuperar do golpe.

Muitos beijos da amiga que te admira e te gosta como uma filhota!!! Aquela que nunca tive rsrs
Gracita

Visitantes.

Marcadores.

Poema (198) Frase poética (64) Meus Textos (21) Conto (10)

Amigos do Blogger.

Translate.